domingo, 4 de maio de 2008

Razão e emoção

António Damásio diz-nos que as emoções ajudam-nos a tomar as nossas decisões, o que à partida parece um pouco estranho! Mas Damásio explica esse facto dizendo que as emoções vêm ajudar a acelerar o processo de decisão, ou seja, se tivéssemos de analisar os prós e contras de todas as decisões, ser-nos-ia impossível, tomar decisões a curto prazo.
Assim emoção e razão estão na base das nossas decisões e essas mesmas decisões são viabilizadas rapidamente, pois por mais simples que seja a decisão que queiramos tomar, existe sempre uma emoção associada.
Para explicar melhor esta sua teoria Damásio remete-nos para a existência de um marcador somático, mecanismo que suporta as nossas decisões a partir de experiências emocionais anteriores. Estas experiências anteriores ficam gravadas nas áreas pré-frontais, responsáveis por funções como a memória, entre outras capacidades consideradas de nível superior devido à sua complexidade.
Perante a necessidade de tomar decisões, o córtex cerebral apoia-se nas emoções para decidir. De acordo com Damásio, sem emoção, ficaríamos impossibilitados de fazer as escolhas mais simples, tal como aconteceu com Gage. Os marcadores somáticos informam o córtex sobre as decisões a tomar.
Portanto numa situação em que é necessário decidir existe uma ligação entre o tipo de situação e o estado do corpo (estado somático). As manifestações corporais são associadas à situação vivida e orientam assim as nossas escolhas.

Bibliografia
MONTEIRO, Manuela Matos & FERREIRA, Pedro Tavares, 2007. Ser Humano – 2ª parte Psicologia B 12º ano. Porto Editora, Porto.

2 comentários:

Filipa Correia disse...

Tomar decisões faz parte do nosso quotidiano. Se muitas das decisões que temos de tomar diariamente têm um impacto menor na nossa vida a médio e longo prazos (a roupa que vestimos, a comida que escolhemos para o almoço, etc.), outras poderão efectivamente influenciar o nosso rumo (a escolha de um curso ou profissão,etc.).
Sentimos que as emoções, positivas ou negativas, nos fazem avançar, ou evitar situações.
As nossas opções de escolha são influenciadas pela emoção que pensamos que vamos sentir, se penso que me vou sentir bem com a decisão, mais facilmente encontrarei alternativas; se penso que me vou sentir mal com a opção feita, sinto emoções negativas e tenho menos facilidade em encontrar opções de escolha.Se a nossa decisão é mais lógica, apela a métodos mais racionais, enquanto uma decisão emocional é geralmente mais rápida.
De acordo com as nossas características individuais (mais emocional ou mais racional) e com a situação em si, tomamos decisões. Se nos sentirmos mais "confusos", poderá ajudar fazer uma listagem dos prós e contras de determinada decisão, pedir a opinião de alguém por quem tenhamos consideração mas, sempre, escutando as nossas emoções...
Como o referes, "emoção e razão estão na base das nossas decisões..."

Andrea disse...

Incrivel como a nossa mente controla o nosso corpo.
Blog muito simplista mas organizado, uma boa ideia de estudo. Parabens a todo o quadro docentes de Psicologia