domingo, 18 de maio de 2008

O Inconsciente

Segundo Freud, é o inconsciente que determina o nosso comportamento. Este manifesta-se no dia-a-dia de qualquer ser humano, mas, de que forma? Existem pois, várias formas do inconsciente se manifestar, entre as quais, os lapsos, os esquecimentos, as intuições e os sonhos!
A infância é uma fase da vida que vai condicionar aquilo que dita o inconsciente e até a nossa própria vida, uma vez que enquanto crianças a capacidade de interpretar e dar sentido ao que acontece é mínima. Isto pode ser explicado com base nas crenças, aquilo que nos é dito ainda em crianças pelos pais é aceite por nós como uma verdade absoluta. As crenças têm então uma força excepcional, somos manipulados, de forma natural, a interpretar a realidade de uma certa forma e até sem nos apercebermos de tal coisa, somos condicionados por essas mesmas crenças.
As recordações podem também explicar o porquê de sermos, muitas vezes, condicionados a não fazer algo, ou seja, o nosso inconsciente é um mecanismo protector que visa minimizar o nosso sofrimento e evitar então situações dolorosas. Por exemplo, muitas pessoas sofrem certos traumas, que podem ter origem quer na infância quer na fase adulta, esses traumas explicam o medo que sentem em certas situações (ex. ter medo da água porque caiu na piscina) e que podem manifestar-se através do inconsciente ao longo da vida.
Quem é que já não teve a sensação de já ter visto ou vivido determinada coisa? Este facto pode ser explicado recorrendo ao inconsciente. As situações em que temos este tipo de sensações advêm de memórias de experiências muito idênticas que tivemos no passado e que ficam guardadas na mente. Como essas memórias antigas não foram processadas de forma consciente não nos conseguimos lembrar do que aconteceu, mas a situação continua a parecer-nos bastante familiar.
Quanto aos sonhos as suas interpretações estão ligadas á história pessoal de cada pessoa e podem ou não conter uma mensagem importante do inconsciente.
Como já disse e como puderam ver o inconsciente está presente no nosso quotidiano, existem uma série de processos físicos que são inconscientes, por exemplo, não pensamos para respirar, não controlamos o bater do coração nem o piscar dos olhos, etc.
O inconsciente é mais um mistério da nossa mente…

Bibliografia: Revista Activa, n.º204 (Novembro 2007)

1 comentário:

psicob disse...

Sara
O seu artigo tem pouco rigor científico. O inconsciente não se manifesta enquanto tal, por isso é inconsciente. Tem que rever alguns conceitos.